7 Técnicas de Recrutamento e Selecção

Se é um profissional de recrutamento e selecção, provavelmente deparou-se com várias dicas e técnicas para melhorar o processo de escolha do candidato ideal para uma vaga. Cada vez mais o mercado está a desenvolver novas formas de atrair grandes profissionais para a sua empresa e considerar diferentes estratégias é essencial para assegurar a escolha certa.

No final, todas as empresas dependem do recrutamento para construir uma equipa eficiente que se enquadre no perfil da organização, se identifique com os seus valores e tenha facilidade de integração com os empregados que já trabalham na área.

Como bem sabe, embora a experiência anterior e os conhecimentos técnicos sejam uma parte importante deste processo, existem outros factores que influenciam a decisão final.

É precisamente por isso que é tão importante conhecer os diferentes métodos de recrutamento e selecção: desta forma, poderá efectuar uma análise qualitativa dos profissionais interessados e contribuir para a formação de uma equipa vencedora na empresa em que trabalha!

Por isso, não deixe de seguir o artigo até ao fim para aprender as melhores práticas relacionadas com o processo de selecção e como incorporá-las na sua vida profissional.

Below são as 7 técnicas de recrutamento e selecção:

Selecção interna

Sabia que em alguns casos o profissional ideal para uma vaga já trabalha na empresa?

É por isso que muitas organizações investem no recrutamento interno. Este processo funciona da seguinte forma: procura de candidatos dentro do próprio pessoal. Além de incentivar a gestão do conhecimento (ou seja, dar aos empregados uma visão ampla dos diferentes processos empresariais), o recrutamento interno garante que nenhum talento será desperdiçado.

Para isso, a vaga é anunciada dentro dos canais de difusão da empresa, tais como a intranet, quadros informativos, boletins informativos internos, e-mail marketing ou jornais empresariais. Os profissionais interessados entram em contacto com o departamento de Recursos Humanos (RH) e começam a analisar a viabilidade da mudança de área.

Isto é muito comum para o intercâmbio de funções de departamentos semelhantes, como é o caso da conformidade e segurança da informação, desenvolvimento do mercado e estratégia, finanças e contabilidade, etc. Uma vez que estas são áreas com funções semelhantes, é mais fácil relocalizar o empregado.

Uma grande vantagem de tal modelo é a motivação dos empregados, pois sentem-se no controlo do seu próprio desenvolvimento de carreira e têm a oportunidade de aperfeiçoar conhecimentos, adquirindo novas aptidões e competências dentro do mercado.

Arquivo de currículos

Cepar uma história de todos os candidatos que já participaram num processo selectivo é também uma excelente forma de melhorar o processo de recrutamento e selecção.

No final, como já mencionámos, há vários factores que tornam um candidato perfeito para vagas específicas. Por muito que um determinado profissional tenha os conhecimentos mínimos necessários para trabalhar na empresa, nem sempre é a melhor escolha para a vaga.

Ao registar o histórico de todos os processos, mantém uma base de dados de profissionais competentes e pode poupar muito tempo na procura de novos candidatos no mercado. Aqueles que mais se destacaram no processo selectivo, mas infelizmente não foram escolhidos, têm uma nova oportunidade de integrar a equipa.

Por isso, é sempre bom avisar os participantes nos processos que eles permanecerão no seu radar e podem ser convidados para outros processos que melhor se ajustem ao seu perfil.

Existem vários softwares disponíveis no mercado que o ajudam a manter este histórico registado. Através das plataformas, é possível armazenar resultados de testes, formulários de contacto e as suas próprias anotações sobre um determinado profissional, optimizando o tempo de processos futuros.

Por isso, não deixe de seguir as tendências do mercado para conhecer o software que se adapta às suas necessidades e pode melhorar o seu trabalho!

Contacto com universidades

A manutenção de uma parceria com universidades é uma óptima forma de encontrar novos talentos. Oferecer um programa de estágio ou de prática dentro da empresa traz vários benefícios, tais como:

– A possibilidade de contribuir para o desenvolvimento da carreira de um estudante.

– A possibilidade de os estagiários trazerem novos conhecimentos do mercado, uma vez que têm uma visão “outsider” do negócio e podem trazer ideias inovadoras.

– A formação de um profissional que possa identificar-se com todos os valores da empresa e, no futuro, ser contratado como um empregado eficaz que contribua o suficiente para atingir os objectivos da organização.

Universidades geralmente procuram essa parceria precisamente para incentivar os seus estudantes. Através dos seus canais de comunicação interna, as vagas são divulgadas aos estudantes inscritos em cursos que têm a ver com a área de funcionamento da empresa e podem candidatar-se às vagas.

E o melhor de tudo, assinar o acordo é muito fácil: basta contactar as universidades em que está interessado e podem começar a trabalhar em conjunto. Não parece nada mau começar hoje a investir nisso.

Contactar sindicatos

Só como as universidades, os sindicatos são também grandes fontes de candidatos. Estas instituições são responsáveis pela mediação de processos entre empresas e trabalhadores, procurando melhores condições de trabalho e lutando pelos direitos dos trabalhadores.

Profissionais da União recebem geralmente boletins informativos internos da instituição, pelo que a sua vaga pode ser destacada entre as novas oportunidades de emprego.

Para além de ganhar um novo grupo de potenciais candidatos a integrar o quadro de empregados, o contacto com os sindicatos também reforça a reputação positiva da empresa e mostra que eles estão preocupados com as condições de trabalho dos empregados.

A maioria dos departamentos de recrutamento e selecção já apostou no contacto com os sindicatos para a transferência da contribuição sindical e para seguir os desejos dos empregados, então para a instituição se tornar parte do recrutamento basta contactar os responsáveis para assinar a parceria e começar a divulgar as vagas abertas.

Fácil, não é?

Headhunters and recruitment agencies

A externalização do processo de selecção é também uma prática bastante comum no mercado. Para este fim, são contratadas agências de recrutamento e headhunters especializados na atracção de candidatos competentes e eficientes.

Cuidado que estas agências são responsáveis por apenas parte do processo, portanto a decisão final cabe a si e aos gestores das vagas.

Geralmente, a agência é responsável pelo primeiro contacto com os candidatos no mercado. Como estas empresas têm uma grande base de currículos registados e estão também presentes em plataformas de procura de emprego (tais como Catho, InfoJobs, Computrabajo, etc.), a probabilidade de obter um grande número de partes interessadas aumenta.

É realizada uma selecção inicial e classificação dos CV para identificar novos talentos, geralmente convidando estes profissionais para uma dinâmica de grupo cara-a-cara. Nesta fase, são recolhidos dados tais como antecedentes profissionais, telefone e e-mail para contacto, nível de escolaridade, conhecimentos técnicos e muito mais.

Testes de personalidade, fluência nos idiomas necessários para o cargo na empresa e conhecimentos gerais podem mesmo ser realizados para melhorar a análise qualitativa dos candidatos.

Finalmente, os headhunters e as agências de recrutamento contactam o seu departamento para indicar os profissionais que melhor se adequam ao perfil. A sua empresa é responsável pela continuação do processo de selecção, agendando entrevistas com o candidato, o profissional de RH e o gestor da vaga.

Esta prática é uma boa ideia para empresas que têm vários processos selectivos simultâneos, uma vez que optimiza o fluxo de trabalho e o seu tempo.

Indicação de um empregado

Os empregados que já estão activos na empresa têm uma excelente percepção do que é preciso para fazer parte da empresa. Conhecem os processos internos, sabem onde a empresa se enquadra no mercado e quais são os valores da organização.

Com toda esta informação, podem ajudar no processo de selecção indicando um funcionário que cumpre os requisitos da vaga!

P>Muitos profissionais conhecem a importância do trabalho em rede para o desenvolvimento da carreira, para que os seus funcionários possam conhecer profissionais especializados na área de desempenho da organização que se enquadrem numa vaga aberta.

É importante ter uma relação transparente entre o departamento de gestão de talentos humanos e os funcionários, desenvolvendo canais de comunicação ágeis e eficientes para que a indicação seja feita.

A intranet e as newsletters internas são os melhores veículos para divulgar as vagas abertas. Os interessados em indicar um colega de trabalho podem enviar um e-mail ao seu departamento e até entregar o currículo do indicado, facilitando o processo selectivo.

A divulgação de vagas também pode ser feita na secção “Trabalhe Connosco” do sítio web da organização. Com esta exposição externa, amigos e colegas de trabalho dos colaboradores podem contactá-los para solicitar a indicação e aumentar as hipóteses de serem convidados a integrar o processo selectivo.

Utilização de redes sociais

Finalmente, não podemos deixar de lado as redes sociais que são ferramentas eficientes para atrair candidatos. Facebook, Twitter e Instagram são plataformas que têm uma enorme base de utilizadores que está a crescer cada vez mais.

Os inquéritos realizados pelo Facebook revelam que cerca de 63% da população brasileira se regista diariamente na sua plataforma digital.

Os utilizadores que seguem a página da sua empresa provavelmente já têm interesse nos seus produtos e serviços fornecidos, ou seja, já conhecem o seu trabalho e podem ter vontade de trabalhar na organização.

A divulgação de posições em aberto nas redes sociais oferece a oportunidade para que os interessados possam contactá-lo. O alcance obtido através dos anúncios melhora a qualidade dos candidatos, uma vez que terá uma enorme variedade de profissionais para preencher a vaga.

Agora, devemos também salientar a importância do LinkedIn para o recrutamento e selecção. Trata-se de uma rede social utilizada exclusivamente para fins empresariais, estabelecendo uma rede de contactos entre a empresa e os milhares de profissionais que operam na área.

Besides ajudando a construir uma reputação positiva para a organização através da publicação de artigos e partilha de objectivos alcançados, pode também utilizá-la para publicitar vagas e atrair novos candidatos.

LinkedIn permite aos candidatos apresentar um currículo através da própria plataforma, fornecendo uma visão sistémica de todos os profissionais que estavam interessados na vaga.

Como a rede social também funciona como um currículo digital, é possível verificar o histórico profissional, as recomendações deixadas pelos gestores anteriores e os principais projectos realizados na vida profissional de cada candidato.

E, se não estiver familiarizado com o funcionamento da plataforma, a própria rede social oferece manuais do utilizador para que possa compreender as funcionalidades da ferramenta e acompanhar todas as actualizações disponíveis para utilização pelas empresas.

Investir na manutenção de uma página corporativa no LinkedIn optimiza o seu tempo e ajuda a criar uma rede de contactos que pode servir de base para qualquer processo selectivo levado a cabo pela empresa.

Estas técnicas de recrutamento e selecção são fáceis de aplicar no RH quotidiano e ajudam a elevar o nível dos profissionais contratados. Como o processo selectivo é o primeiro passo na contratação de um empregado que se enquadra no perfil da empresa, a melhoria das práticas deve ser uma necessidade contínua na gestão do talento humano.

Então que tal investir na adaptação destas técnicas à realidade dos processos da sua empresa nos dias de hoje? Certifique-se de que a evolução do processo selectivo só trará benefícios à sua área, aos outros departamentos da empresa e ao mercado de trabalho como um todo.

Não deixe de consultar os nossos outros artigos para descobrir novas dicas de recrutamento e selecção, compreender melhor os processos internos das empresas, seguir histórias de sucesso na área e assegurar as melhores práticas de recrutamento de funcionários para a sua organização!

Tire a oportunidade de partilhar o conteúdo nas suas páginas e redes sociais e sugerir tópicos para as próximas semanas com um comentário.

Agora que chegou ao fim do nosso artigo, continue a ler outros artigos sobre o tema:

External Recrutamento: O que é e como começar?

Indicadores de recrutamento e de recrutamento

Qual é a diferença entre recrutamento e recrutamento?

Recrutamento e Selecção: O que é, fases, estratégias e técnicas

Tipos de recrutamento e selecção: O que são e como funcionam?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *