Banda desenhada vs Manga: o boom oriental no oeste

Cortesia da Marvel Entertainment

p> Como publicámos anteriormente, LaHistorieta.com esteve presente em Montevideo Comics 2013, uma experiência que nos deixou várias impressões sobre o público de leitura de banda desenhada naquele país, a maioria delas bastante agradável. No entanto, um elemento que temos visto repetido nesta e noutras convenções em todo o continente é a tendência crescente do cosplay inspirado nas personagens Manga. Não que consideremos isto uma coisa má, na verdade fala muito sobre uma globalização cultural que nos permite apreciar formas de arte alternativas ao estilo ocidental a que estamos tão habituados, mas sem dúvida que levanta a questão de porque é que o público mais jovem está a ler mais mangá do que banda desenhada, considerando que é esse o caso.

/Thinkstock

Vamos tentar remover o tom apocalíptico a estas primeiras frases, neste sentido gostaríamos de fazer dois esclarecimentos. Como primeiro esclarecimento: acreditamos que nenhum estilo é objectivamente superior ao outro, pelo contrário, são formas diferentes e cada uma tem o seu valor especial.

O nosso segundo esclarecimento é sobre o conceito que estamos a dar ao termo “banda desenhada” neste artigo. Quando falamos de “banda desenhada” estamos a referir-nos à grande indústria que gira em torno da Marvel, DC, Valiant, etc.

Não ignorando que a banda desenhada em geral cobre muito mais do que a banda desenhada de super-heróis, mas considerando que representa o outro pólo do espectro imaginário que estamos a fazer, como uma hipotética oposição cómica – manga.

Podemos estar certos de que a manga tem tido um crescimento avassalador entre os leitores mais jovens e é a partir desta observação que dedicaremos algumas breves linhas a reflectir sobre quais poderão ser as razões. Qual é a diferença entre a banda desenhada e a manga, O que torna a manga tão atraente aos olhos dos leitores mais jovens?

Variedade de géneros e continuidade nas edições

A primeira grande diferenciação que encontramos é a variedade de géneros que a manga tem em comparação com as bandas desenhadas americanas. Dentro da tradição da manga pode-se encontrar géneros tão diversos como Spokon (tema desportivo), Yaoi (história de amor entre rapazes) e Gekiga (drama), entre outros.

Isto não é assim na banda desenhada americana (lembrem-se da nossa definição) onde o único tema que é tratado está relacionado com fenómenos sobrenaturais, heróis e vilões, todos enquadrados numa concepção bastante estática de “bem” e “mal”. Os romances e a comédia actuam como elementos decorativos, submergidos em parcelas onde a acção é ponderada acima de tudo.

/Thinkstock

Outra grande diferença, que na nossa opinião favorece a manga, é a continuidade das histórias. A banda desenhada japonesa é muito mais fácil de seguir em relação à banda desenhada americana, que sofre da saturação e sobreposição de linhas temporais, cruzamentos e spin-offs.

A verdade é que é muito difícil acompanhar uma banda desenhada americana se nos limitarmos a tomar um tema no meio de uma série, é até difícil compreender os acontecimentos se o lermos a partir do primeiro número.

Esta justaposição de histórias e acontecimentos paralelos deixa o leitor à deriva num mar de deduções e especulações que normalmente desencorajam a leitura. No caso da manga, a continuidade das histórias é muito mais ordenada, talvez esta seja uma das razões mais importantes pelas quais os jovens leitores a preferem em vez das bandas desenhadas americanas.

Arte e design

Sem dúvida outra das acentuadas diferenças entre as bandas desenhadas americanas e a manga japonesa é a diferença entre as duas apresentações. Obedecendo aos hábitos de leitura de cada cultura, a manga é lida da direita para a esquerda começando com “a última página” enquanto a banda desenhada americana segue o procedimento inverso.

Cortesia da Marvel Entertainment

Outro facto curioso é que a maior parte da manga vem a preto e branco, ao contrário da saturação de cores presentes na banda desenhada americana, isto não parece marcar qualquer ponto a favor da banda desenhada japonesa, embora nos gostos….

O que faz a diferença é o realismo em termos de desenho, o mangá tende a ser um pouco mais realista em termos de paisagens e detalhes ambientais, mas não o desenho de personagens. Poderá este ser um argumento que marca as preferências?

Do papel ao ecrã

Em 1988, o sucesso cinematográfico do animeAkira inspirado na manga de Katsuhiro Otomo resultou no aumento da anime japonesa nos Estados Unidos. Na nossa opinião, esta é a grande explicação para o aumento da leitura do mangá, o impacto do anime nesta parte do globo e o boom da Internet explicam por si só a expansão que o mangá goza hoje em dia entre o público mais jovem, por um lado temos o difusor (anime) e por outro os meios para o adquirir (Internet).

Cortesia da Marvel Entertainment

Se pelo seu dinamismo, pela sua arte gráfica ou pelas suas parcelas, anime deslocou em segundo lugar a série animada baseada em super-heróis como o Homem-Aranha, Lanterna Verde ou Super-Homem (o caso do Batman pode ser a excepção) e, portanto, não é loucura pensar que só na era da televisão essa deslocação se tenha deslocado para a banda desenhada.

Bola de Dragão, Capitão Tsubasa (que na América Latina foi chamado “Supercampeones”), os Cavaleiros do Zodíaco, e muito mais. A Internet também abriu um novo mundo às séries de anime que não estavam a ser transmitidas no ar, o que alargou o espectro e, portanto, teve as suas consequências a favor da distribuição comercial de manga.

O que achou deste artigo, prefere manga ou banda desenhada americana?

O que achou deste artigo, prefere manga ou banda desenhada americana?

O que achou deste artigo, prefere manga ou banda desenhada americana?

O que achou deste artigo, prefere manga ou banda desenhada americana?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *