Com a participação massiva de estudantes a 8ª Feira de Ciência e Tecnologia teve lugar em Osorno

Publicado por DEC Santo Tomás em 28/08/2019

Feira de Ciência e Tecnologia
Feira de Ciência e Tecnologia
-.-

Com cerca de 500 pessoas, o evento científico que ano após ano reúne os principais investigadores da cidade de Osorno foi inaugurado. O Prémio Nacional de Ciências Naturais 2018, Fabian Jaksic, foi o que deu início à série de conversações.

“Pense como os cientistas. Não me refiro à aprendizagem do método científico ou à leitura de lotes e montes de artigos. Há uma forma de enfrentar a vida que é pensar cientificamente e que consiste, essencialmente, em distinguir se um determinado efeito vem de uma determinada causa”, disse o Dr. Fabian Jaksic aos mais de 500 participantes na abertura da Feira de Ciência e Tecnologia de 2019, entre eles, principalmente estudantes de estabelecimentos de ensino em Osorno. Esta chamada fez parte da sua apresentação “Biodiversidade, serviços ecossistémicos e mudança global” com a qual o Prémio Nacional de Ciências Naturais 2018 marcou o primeiro dia do evento científico.

p>Durante a sua apresentação, o biólogo e doutor em zoologia, referiu-se à relação entre biodiversidade e serviços ecossistémicos e ao aumento da temperatura do planeta. Relativamente a esta última, mencionou várias acções possíveis, incluindo a redução da utilização de energia material e da procura de alimentos; ser eficiente na utilização de energia; substituir as fontes de energia; melhorar as práticas agrícolas para reduzir as emissões e a utilização de água; e proteger a biodiversidade por ser uma “esponja” natural para os gases com efeito de estufa.

Promoção da cultura e ciência

A 8ª versão da Feira de Ciência e Tecnologia é organizada por Santo Tomás, o Município de Osorno e o Hotel Sonesta e tem como objectivo levar o trabalho científico às crianças em idade escolar e aos cidadãos em geral, através de apresentações de investigadores proeminentes para abordar questões de interesse nacional e global.

“Como Instituições Santo Tomás propusemos continuar a consolidar o nosso compromisso de transformar os nossos estudantes em profissionais de qualidade, que transcendam em áreas humanas e profissionais tão diversas como a investigação, o alcance comunitário, a promoção da ciência, a cultura e o desenvolvimento das pessoas e do seu ambiente”, disse o Reitor de Santo Tomás, Osorno, Eugenio Larraín.

“Queremos semear o interesse na investigação”

Durante o evento, a Faculdade de Ciências Sociais e Comunicações da Universidade de Santo Tomás realizou também uma conferência intitulada: “Territórios, Emprego e Cidadania: Abordagens Metodológicas e Empíricas aos Debates Actuais”.

A actividade foi dividida em três mesas redondas, nas quais os académicos da UST apresentaram os seus projectos de investigação a estudantes de diferentes carreiras da Faculdade. O primeiro bloco foi orientado para o tema “Identidades e discursos” e esteve a cargo dos académicos da UST Nairbis Sibrian, Veronica Rubio e Pamela Caro. O segundo painel foi denominado “Instrumentos de intervenção e avaliação em diferentes contextos” e foi dirigido pelos investigadores Felipe Rivera, Cinthia Vega e Alfredo Espinoza. Entretanto, o último painel chamado “Territórios e cidadania” contou com a presença dos cientistas sociais Daniel Valenzuela, Jorge Ulloa e Lorena Armijo.

“O objectivo deste encontro é que os nossos académicos possam partilhar as suas experiências em projectos de investigação e que possam também ouvir-se uns aos outros. Por outro lado, entre as competências que esperamos que os nossos estudantes desenvolvam encontram-se as competências de investigação. Queremos semear neles um interesse pela investigação”, disse o reitor da Faculdade de Ciências Sociais e Comunicações, Macarena Lucar.

Chile como laboratório natural

O Centro de Investigação e Inovação para as Alterações Climáticas (CiiCC UST) também esteve presente durante a Feira com a palestra “Biomateriais Marinhos: economia circular e oportunidades de inovação científico-tecnológica”, pelo seu director e Doutor em Ecologia, Nelson Lagos.

Na sua intervenção, o biólogo marinho apontou o potencial do país como laboratório natural para a investigação sobre exoesqueletos de moluscos, referindo-se ao seu projecto CaroboNatLab do Programa de Investigação Científica e Tecnológica do Programa de Investigação Associativa do CONICYT, que integra biomecânica, biomineralização e ecofisiologia dos moluscos.

O projecto permitirá impulsionar uma economia circular, reutilizando este biomaterial descartado (conchas do mar) como matéria-prima para substituir vários produtos. “Carbonato como um biomaterial para a inovação, poderíamos utilizá-lo para produzir outros tipos de materiais. Há revisões recentes que mostram que têm aplicações biomédicas, como absorvente, na construção, materiais de alta tecnologia, como suplemento na agricultura, tem muitas aplicações,”

Durante o segundo dia do evento e perante dezenas de estudantes, o Reitor da Faculdade de Engenharia da Universidade de Santo Tomás, Juan José Negroni, apresentou sobre “Micro Grades e NCRE” e “como podemos gerar electricidade a partir das mesmas cidades, sendo uma contribuição para a rede eléctrica nacional”.

Negroni disse que “a importância de os estudantes serem protagonistas neste evento científico, é instilar a noção de que cada vez que investigamos e estamos a aperfeiçoar o conhecimento num ponto importante da ciência, quanto mais a árvore do conhecimento cresce. É muito importante que os jovens compreendam que melhorar, estudar e compreender o equilíbrio natural, ajuda ao desenvolvimento da sociedade e a compreender o outro”

Concurso de Ciências Escolares

A Feira, que decorreu durante três dias, dois no hotel Sonesta e um dia de viagem em escolas urbanas e rurais, teve também stands de experiências e amostras científicas de estudantes, um planetário móvel e um planesaurus 3D; e uma série de workshops, conseguindo no total a participação de mais de 8 mil pessoas nesta 8ª versão.

Um sucesso para os organizadores, que disseram que esta feira se realiza no quadro da responsabilidade universitária social e educacional, centrada na área da ciência e tecnologia.

Durante o dia, realizou-se o Concurso de Ciências Escolares, um concurso que convocou estudantes do ensino básico e secundário de estabelecimentos de ensino da região de Los Lagos e Los Rios, e pela primeira vez em Viña del Mar e Arica, para se candidatarem aos seus projectos nas áreas de Biologia, Astronomia, Tecnologia e Saúde.

“O Concurso de Ciências começou como o centro deste evento e assim se manteve. “Este ano também tivemos 30 inscrições, das quais estamos muito orgulhosos”, disse Joseline Hipp, directora do Programa de Bacharelato e coordenadora da Feira.

Entra os vencedores foram representantes de Arica e Valparaiso, Talca, Antofagasta e Osorno. Entre os prémios que os estudantes receberam contam-se estágios no Centro de Investigação da Bahía Lomas em Tierra del Fuego, estágios no Laboratório de Neurociência da Universidade do Chile, estágios no Centro de Investigação de Alterações Climáticas da Universidade Santo Tomás Santiago, estágios no Parque Metropolitano e fascinantes excursões ao rio Bueno.

Outras palestras

A instância contou com a presença de 11 oradores de diferentes áreas relacionadas com a ciência, incluindo apresentações do director do Departamento de Neurociências da Universidade do Chile, Dr. Pedro Maldonado, chamado “Porque não posso fazer cócegas? Perguntas sobre o misterioso cérebro humano”; do director do Labnat Pilauco, Dr. Mario Pino, chamado “Novas descobertas nos sítios Pilauco e Los Notros, Norpatagónia Ocidental do Chile”, da directora do Mestrado em Paleontologia da Universidade Austral do Chile, Dra. Karen Moreno “Paleo-fingerprint in America: humanos e outros habitantes”, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *