Cruzeiros em Madagáscar

Madagáscar é um destino original de cruzeiro marcado por uma biodiversidade pouco comum e por numerosos contrastes, tanto culturais como naturais. A “Big Island” garante-lhe um cruzeiro cheio de surpresas.

População e Demografia.

Madagáscar, com a chegada dos grupos de primeira origem indonésia e mais tarde africana e árabe, recebeu os seus primeiros habitantes há cerca de 1.200 anos. Até à data, os habitantes de Madagáscar não formam uma população homogénea, uma vez que existem diversos grupos culturais, incluindo Betsimisaraka, Bezanozano, Antandroy, Sakalava, Betsileo, Merina,… A população malgaxe também inclui estrangeiros caucasianos, geralmente chamados “vazaha”, indianos paquistaneses ou “karana”, chineses e comerianos.

História e Geografia.

As imigrações entre 700 e 1.600 eram compostos por Persas, Árabes, Bantusianos e Neo-Austronésios que incorporaram novos elementos na identidade cultural do país. Com os sindicatos e alianças que tiveram lugar, nasceu uma nova era, a da soberania, formando clãs e grupos étnicos. Isto levou à criação de reinos dominantes tais como Betsileo, Merina, Bara ou Sihanaka nas terras centrais e Antakarana, Mahafaly ou Antanala nas costas. Durante o período da colonização, Madagáscar esteve sob administração francesa de 1896 a 1956. A verdadeira independência poderia ser vista a partir de 26 de Junho de 1960.

br>>>>

Madagáscar encontra-se actualmente na sua quarta república e faz parte do círculo francófono, fazendo do francês a segunda língua nacional.

Como para a sua geografia, Madagáscar é uma ilha tropical com 1.580 quilómetros de comprimento por 500 quilómetros de largura. Está separada de África pelo Canal de Moçambique que oferece uma maravilhosa área de navegação no Mar Vermelho. Madagáscar, banhado pelo Oceano Índico, tem 1.000 quilómetros de costa e numerosas lagoas protegidas por recifes de coral. No centro do país encontra-se o planalto dominado por um maciço montanhoso que se estende de norte a sul. Madagáscar é um país de contrastes, apresentando paisagens diferentes em cada paragem, desde as florestas do leste até às paisagens lunares de Tsingy, passando pelos lagos do noroeste e pelas avenidas “baobá” do sul.

Madagascar é um dos países mais ricos em termos de biodiversidade, um local onde os cientistas continuam a descobrir novas espécies de fauna e flora.

Cultura, Tradições e Gastronomia.

Madagascar é um país onde as tradições ancestrais fazem parte da cultura, como é o caso da “fihavanana”, um conceito baseado no consenso que mantém a harmonia na sociedade. Na sociedade tradicional de Madagáscar, está na origem das práticas de “dar e receber” sem qualquer compensação financeira na agricultura ou obras de construção.

A cultura malgaxe também é marcada pelo respeito pelos antepassados, que é praticado através de cerimónias dedicadas à “famadihana” morta, Nesta terra cheia de paixão, a religião também desempenha um papel importante, por vezes combinando o cristianismo com ritos pagãos de adoração dos antepassados. Por outro lado, a sociedade malgaxe é patriarcal e centrada na família.

Em termos de cozinha, o arroz desempenha um papel importante nas duas principais refeições diárias, os doces tradicionais (koba, mofo gasy) e mesmo as bebidas. A cozinha malgaxe também tempatias extravagantes graças às muitas influências africanas e europeias. Os pratos são compostos principalmente de ingredientes orgânicos como peixe, marisco, legumes, frutas tropicais, aves, carnes, especiarias,… Tudo isto será uma verdadeira aventura culinária para si.

Principais atracções turísticas.

Madagascar oferece-lhe numerosas curiosidades naturais como o Parque Nacional Tsingy de Bemaraha, por exemplo. Localizado a oeste da Ilha Grande, é um conjunto de formações calcárias monumentais que se estende por 72.000 hectares. Esta paisagem lunar oferece uma visita surreal que pode durar mais de três dias. Pode visitar grutas e galerias subterrâneas, caminhar pelo maciço calcário e pela ponte suspensa, visitar a floresta secundária, descobrir a fauna e a flora…

>>>

A sudeste descobrirá um dos tesouros turísticos da ilha, o Parque Nacional de Isalo, localizado em Ranohira, a quatro horas de Tuléar. Com a sua cascata de água quente a cair numa piscina natural e a exuberante floresta, o parque é um verdadeiro canto do paraíso. Tem também um território de “maki” (Catta lemur) que se pode ver no seu habitat natural. Entre os tesouros culturais estão os túmulos de Bara e Sakalava, uma visita que pode fazer de bicicleta, a pé, com uma excursão,…

Na costa sudeste está a cidade de Fort-Dauphin ou Tolagnaro. Esta zona costeira é perfeita para relaxar nas praias de areia fina e para actividades como windsurf, caiaque, visitas guiadas às ilhas próximas,… A biodiversidade também está presente na Reserva Nahampoana e na Reserva Mandena com, 65 espécies de aves, 6 espécies de lémures e 72 espécies de flora endémica.

Continuando a leste, na província de Fianarantsoa é a Reserva de Ranomafana que estende os seus 41.600 hectares com 25 torrentes de água e 3 rios. Nos itinerários turísticos organizados é possível descobrir as florestas primárias, cascatas, diferentes espécies de aves e lémures, bem como os sítios culturais da zona.

Qual é a melhor época do ano para visitar Madagáscar e com que empresa?

A vantagem de optar por um cruzeiro para visitar Madagáscar é a possibilidade de poder ir em quase qualquer altura do ano. O período perfeito ainda é a estação seca, de Abril a Outubro. Entre Novembro e Março, a época turística é mais fraca porque coincide com a época dos ciclones. No entanto, é de notar que em Madagáscar, há sempre lugares protegidos das intempéries.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *