Definition.de (Português)

Membership é uma adaptação da palavra inglesa membership. A noção, que também pode ser escrita como membro como aceite pelo dicionário da Real Academia Espanhola (RAE), é utilizada nas Américas para aludir à pertença a um grupo ou organização.

Membresía

P>Servir como membro de uma certa entidade, portanto, é equivalente a ser membro da mesma. A ideia refere-se a um grupo específico de indivíduos que partilham certos privilégios e direitos, que não estão disponíveis para aqueles fora do conjunto em questão.

Os meios digitais recorrem frequentemente ao conceito de filiação quando cobram pelo acesso ao seu conteúdo. Embora todos os visitantes de um website possam ler algumas notas ou fragmentos delas, apenas aqueles que pagam a assinatura e se tornam membros têm a possibilidade de usufruir do conteúdo sem limites ou restrições. A filiação, neste caso, faz a diferença entre uma leitura limitada e uma muito mais completa.

É importante notar que a filiação pode ser gratuita. Suponha que uma cadeia de supermercados decide criar uma comunidade de clientes e lança uma adesão com ofertas e promoções especiais para os seus membros. Assim, aqueles que querem ter estes benefícios devem preencher um formulário com os seus dados e, assim, obter a filiação gratuitamente. A iniciativa permite à empresa chegar com as suas propostas directamente às pessoas interessadas nos seus produtos, enquanto que os subscritores têm vantagens sobre aqueles que não têm a filiação.

Membership Por outras palavras, os utilizadores ou clientes que acedem à filiação tornam-se parte de um grupo especial, de uma categoria superior, por assim dizer, ao resto. Só isto pode ser muito tentador para eles, como um incentivo extra para continuarem a fazer compras na mesma loja. E isto leva-nos ao conceito de lealdade: conseguir que os clientes se tornem “leais” a uma marca, serviço ou produto através de certos privilégios que são recíprocos à sua relação com a empresa.

A adesão abre a porta a uma série de vantagens para ambas as partes, as quais podem muito bem ser dadas implicitamente, sem que qualquer assinatura tenha lugar, simplesmente através de eventuais descontos cada vez que o cliente acumula um certo montante nas suas compras. No entanto, torná-lo oficial através da entrega de um cartão, ou processos como a acumulação de pontos e a entrega de cupões de desconto tornam-no muito mais atractivo para o cliente e geram um sentido de responsabilidade.

À primeira vista, esta estratégia é bastante simples: uma empresa dá aos seus clientes a possibilidade de se elevarem a uma categoria superior à normal, seja por uma taxa ou gratuitamente, mas sempre com a promessa de lhes dar acesso a uma série de ofertas especiais, tais como descontos em produtos e serviços ou mais eventuais recompensas sob a forma de prémios que podem não fazer parte do catálogo.

No fundo, para além da ligação simbólica que a empresa estabelece com o consumidor, deve existir um sistema de complexidade variável. Por um lado, é necessário planear a forma como a adesão se materializará: com um cartão físico, com acesso a um painel de controlo na Internet, utilizando uma aplicação no telemóvel, e assim por diante. Mas é também importante manter vivo o interesse, e para isso há promoções limitadas no tempo, que podem ou não estar relacionadas com certos feriados nacionais ou internacionais: descontos na Sexta-feira Negra ou no Natal, por exemplo, com benefícios adicionais para os membros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *