É ESTE MARKETING PARA HOMENS E MARKETING PARA MULHERES?

É ESTE MARKETING PARA HOMENS E MARKETING PARA MULHERES?

Não há dúvida de que o mundo mudou muito nos últimos anos e que o marketing não foi deixado para trás. Tanto as mudanças culturais como as exigências do mercado levaram a que o marketing tomasse direcções diferentes.

Não há muito tempo, as decisões de compra, bem como os produtos oferecidos e as estratégias para os comercializar, visavam segmentos de mercado que não eram comunicados entre si e que não recebiam uma saturação de comunicações como hoje. Contudo, hoje tudo isso mudou, a sociedade está sujeita a um bombardeamento de comunicações que faz com que, se se quiser ter uma vantagem competitiva, seja necessário diferenciar e, de facto, os meios de comunicação já estão a ser orientados nessa linha.

Tradicionalmente, um dos pontos-chave do marketing tem sido a segmentação dos mercados e a definição do público-alvo a ser atingido com uma determinada campanha. Assim, os mercados foram divididos em função das variáveis de segmentação escolhidas. Contudo, para a maioria das campanhas e produtos, o género não foi considerado como uma das variáveis a seleccionar.

No entanto, hoje em dia, e com a diferenciação da marca em foco, estão a ser desenvolvidas estratégias e tácticas para abordar homens e mulheres de forma diferente, uma vez que não só têm formas diferentes de agir, mas também de tomar decisões no momento da compra. Do mesmo modo, as características dos produtos que exigem são diferentes e surge a necessidade de apostar em estratégias mais personalizadas que permitam chegar mais eficazmente a ambos os sexos.

SÃO AS DIFERENÇAS

Primeiro de tudo, é importante considerar que, dado que homens e mulheres têm comportamentos diferentes, é necessário realizar estudos de mercado tanto online como offline, nos quais os gostos, desejos, preferências ou hábitos dos segmentos masculino e feminino são investigados com maior precisão. Desta forma, será possível conceber estratégias centradas em cada uma delas separadamente, com os desenhos, cores ou embalagens que melhor lhes convêm. Quanto melhor conhecermos os nossos consumidores, mais fácil será ligar-se a eles e gerar experiências e emoções de marca.

E a realidade é que homens e mulheres são diferentes e compram de forma diferente. Isto é algo que não pode ser esquecido quando se tomam decisões sobre o que é oferecido ao mercado e de que forma. As mulheres tendem a ser mais expressivas, elas verbalizam os seus sentimentos e emoções. Os homens, por outro lado, tendem a não expressar verbalmente as suas emoções, tendem a não chorar e muitas vezes resolvem as questões de uma forma mais activa. Estes são dois tipos diferentes de cérebros que influenciam a forma como percebemos a realidade e como agimos.

GENDER MARKETING

Uma das evoluções do marketing hoje em dia é a passagem da segmentação para aquilo a que poderíamos chamar micro segmentação. E neste novo conceito de micro segmentação não pode deixar de fora a diferenciação por género, o que leva a repensar as estratégias tanto de marketing tradicional como digital.

Na sociedade actual, o sexo feminino é um mercado altamente exigente para produtos. As mulheres procuram e têm mais informação sobre o que querem comprar antes de fazer uma compra. Além disso, são os primeiros a fazer comentários, tanto positivos como negativos, sobre marcas e produtos. É necessário implementar novas estratégias mais afectivas e emocionais.

Pelo contrário, no caso dos homens é necessário ser mais directo e preciso, gerando experiências com produtos e marcas mais racionais.

Assim, para o mesmo produto, que cobre a mesma necessidade, será necessário criar duas estratégias de concepção e comunicação. Neste sentido, podemos falar de marketing para mulheres e marketing para homens.

div id “bd666b66baa”>

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *