FLAGYL comprimido revestido por película 500 mg

Mecanismo de ActionMetronidazole

Anti-infeccioso antibacteriano e antiparasitário, possivelmente por interacção com ADN.

indicações terapêuticas e PosologiaMetronidazol

Oral (durante a refeição):
– Lambliasis (Giardiasis). Pacientes > 10 anos: 2 g/dia, 3 dias ou 400 mg 3 vezes/dia, 5 dias ou 500 mg 2 vezes/dia, 7-10 dias; idade 7-10 anos: 1 g/dia, 3 dias; idade 3-7 anos: 600-800 mg/dia, 3 dias; idade 1-3 anos: 500 mg/dia, 3 dias. Expresso em s.c.: 15-40 mg/kg/dia em 2-3 doses.
– Amebíase intestinal e hepática. Pacientes > 10 anos: 400-800 mg 3 vezes/dia; 7-10 anos: 200-400 mg 3 vezes/dia; 3-7 anos: 100-200 mg 4 vezes/dia; 1-3 anos: 100-200 mg 3 vezes/dia. Duração do tratamento Duração do tratamento: 5-10 dias. Expresso em s.c.: 35-50 mg/kg/dia em 3 doses, para não exceder 2,4 g/dia.
– Infecção anaeróbia. Anúncios: 500 mg/8 h. Crianças > 8 sem – 12 anos: 20-30 mg/kg/dia como dose única ou 7,5 mg/kg/8 h, 7 dias. Crianças < 8 wk: 15 mg/kg/dia como dose única ou 7,5 mg/kg/12 h.
– Tricomoníase urogenital. Anúncios e adolescentes: 2 g como dose única ou 200 mg 3 vezes/dia, 7 dias ou 400 mg 2 vezes/dia, 5-7 dias. Crianças < 10 anos: 40 mg/kg como dose única ou 15-30 mg/kg/dia em 2-3 doses durante 7 dias. Máx. 2 g/dia.
– Vaginose bacteriana. Adolescentes: 400 mg 2 vezes/dia durante 5-7 dias ou 2 g como dose única.
Perfus. IV (30-60 min):
– Infecção por bactérias anaeróbias: Bacteroides, Fusobactérias, Eubactérias, Clostridium e Estreptococos anaeróbios. Anúncios e crianças > 12 anos: 500 mg/8 h, máximo 7 dias. Crianças > 8 wk-12 anos: 20-30 mg/kg/dia como dose única ou 7,5 mg/kg/8 h, 7 dias. Crianças < 8 wk: 15 mg/kg/dia como dose única ou 7,5 mg/kg/12 h.
– Prevenção de infecção pós-operatória por bactérias anaeróbias, especialmente Bacteróides anaeróbios e Estreptococos. Anúncios e crianças > 12 anos: 500 mg pré-operatórios ou 1,5 g numa dose antes, durante ou após a cirurgia. Cirurgia colorrectal: 500 mg/8 h durante 24 h, com início antes da cirurgia, prolongar 3-5 dias se houver perfuração de vísceras ocas ou apendicite gangrenosa. Crianças > 8 wk- 12 yrs: 20-30 mg/kg como dose única 1-2 h antes da cirurgia. Recém-nascidos < 40 wk: 10 mg/kg como dose única antes da cirurgia.

Modo de administraçãoMetronidazol

Oralmente a ser tomado durante as refeições.

ContraindicaçõesMetronidazol

Hipersensibilidade aos imidazóis.

Avisos e PrecauçõesMetronidazol

I.R. reduzir a dose, quando não em diálise, e monitorizar os níveis de metabolitos séricos; encefalopatia hepática; SNC ou ENP agudo ou crónico grave, risco de agravamento neurológico; se for necessário prolongar o tratamento, avaliar benefício/risco, realizar testes hematológicos, especialmente contagem de glóbulos brancos, e monitorar o risco de neuropatias centrais ou periféricas; escurece a urina; efeito antabuse com álcool, evitar; avaliar o uso em tratamento prolongado; insuficiência hepática em combinação com outros antibióticos; risco de tromboflebite (via IV) e superinfecções por microrganismos não-susceptíveis; casos de hepatotoxicidade grave e H.I. notificados (incluindo um paciente com um resultado fatal); risco de insuficiência hepática em combinação com outros antibióticos; risco de tromboflebite (via IV) e superinfecções por microrganismos não-susceptíveis; casos de hepatotoxicidade grave e H.I. notificados. (incluindo um paciente com resultado fatal), em pacientes com síndrome de Cockayne: não administrar a menos que não haja alternativa terapêutica disponível (se finalmente administrado, monitorizar de perto a função hepática e se for detectado um comprometimento hepático, interromper a tto.).

Imparidade hepáticaMetronidazol

Precaução na encefalopatia hepática.

Imparidade renalMetronidazol

Precaução. Aconselha-se a reduzir a dose, quando não submetida a diálise, e monitorizar o nível do metabolito do soro.

InteracçõesMetronidazol

Ver Prec. Além disso:
Reacção psicótica com: disulfiram (interromper 2 semanas antes do tratamento), álcool.
Reduz o metabolismo hepático e potencia o efeito de: anticoagulantes orais (ajustar a dose e monitorizar o tempo de protrombina).
Aprimora o nível plasmático de: lítio (monitorizar o nível de lítio, creatinina e electrólitos); ciclosporina (monitorizar o nível de creatinina e plasma); busulfan (toxicidade severa).
Aprimora a eliminação e diminui o nível plasmático de: fenitoína, fenobarbital, cimetidina.
Diminui a eliminação e aumenta a toxicidade de: fenitoína, fenobarbital, cimetidina. 5-Fluorouracil.
I.V.: administração simultânea mas separada de outros anti-infecciosos para evitar a incompatibilidade química.
Lab: falso sangue negativo ALT, AST, LDH, triglicéridos, glucose.

PregnancyMetronidazole

Se o metronidazol atravessar a barreira placentária e os dados disponíveis forem insuficientes para estabelecer a segurança da sua utilização na gravidez, os potenciais riscos/benefícios da sua utilização devem ser cuidadosamente avaliados.

LactaçãoMetronidazol

Metronidazol é excretado no leite humano e a administração desnecessária deve ser evitada durante a lactação.

Efeitos sobre a capacidade de conduçãoMetronidazol

Se ocorrer algum dos seguintes sintomas, abster-se de conduzir ou operar maquinaria: confusão, tonturas, alucinações, convulsões ou perturbações oculares.

Reacções adversasMetronidazol

p>Dores epigástricos, náuseas, vómitos, diarreia, mucosite oral, perturbações do paladar, anorexia, pancreatite (reversível), descoloração da língua/língua de leite; angioedema, choque anafiláctico; neuropatia sensorial periférica, dores de cabeça, convulsões, vertigens, encefalopatia, síndrome cerebelar aguda, meningite asséptica; distúrbios psicóticos, confusão, alucinações, comportamento depressivo; perturbações visuais transitórias, neuropatia óptica, neurite; agranulocitose, neutropenia, trombocitopenia; aumento das enzimas hepáticas (AST, ALT, fosfatase alcalina), hepatite colestática ou mista e danos hepatocelulares, insuficiência hepática; erupção cutânea, prurido, rubor, urticária, erupções pustulares, síndrome de Stevens-Johnson, necrólise epidérmica tóxica; febre.

Vidal VademecumSource: O conteúdo desta monografia de princípio activo de acordo com a classificação ATC, foi escrito tendo em conta a informação clínica de todos os medicamentos autorizados e comercializados em Espanha classificados nesse código ATC. Para conhecer em pormenor as informações autorizadas pela AEMPS para cada medicamento, deve consultar a Ficha Técnica correspondente autorizada pela AEMPS.

Monografias de Ingredientes Activos: 22/11/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *