glucophage 750 xr comprimidos de libertação prolongada 750 mg

Mecanismo de acçãoMetformin

Reduz a glucose plasmática pós-prandial e basal. Actua por 3 mecanismos. 1: Reduz a produção de glicose hepática através da inibição da gluconeogénese e da glicogénólise. 2: Em músculo aumenta a sensibilidade insulínica e melhora a absorção e utilização da glicose periférica. 3: Atrasa a absorção intestinal da glicose. Não estimula a secreção de insulina, pelo que não causa hipoglicemia.

Indicações terapêuticasMetformina

Diabetes mellitus tipo 2 especialmente em doentes com excesso de peso, quando não conseguem um controlo glicémico adequado apenas com dieta e exercício. Em anúncios. em monoterapia ou associados com outros antidiabéticos orais, ou com insulina. Em crianças = 10 anos e adolescentes em monoterapia ou em combinação com insulina.

PosologyMetformin

Expresso como cloridrato de metformina, oral. Anúncios, monoterapia e associados a outros antidiabéticos orais: 500 ou 850 mg iniciais habituais 2-3 vezes/dia, durante ou após as refeições e ajustar após 10-15 dias de acordo com a glicemia (um aumento lento melhora a tolerância gastrointestinal), máximo: 3 g/dia em 3 doses; combinado com insulina: 500 ou 850 mg iniciais 2-3 vezes/dia, ajustar a dose de insulina de acordo com a glicemia. Crianças >= 10 anos e adolescentes, monoterapia e combinada com insulina: 500 ou 850 mg uma vez por dia durante ou após as refeições, ajustar após 10-15 dias de acordo com a glicemia, máx: 2 g/dia em 2-3 doses.

Modo de administraçãoMetformina

Metformina pode ser administrada com ou após as refeições. Deve continuar a sua dieta com uma distribuição uniforme da ingestão de hidratos de carbono ao longo do dia. Se tiver excesso de peso, deve continuar a sua dieta hipocalórica.

ContraindicaçõesMetformina

Hipersensibilidade; cetoacidose diabética, precoma diabético; I.R. (Clcr < 60 ml/min); patologia aguda com risco de insuficiência renal: desidratação, infecção grave, choque; doença aguda ou crónica com risco de hipoxia tecidual: insuficiência cardíaca ou respiratória, enfarte do miocárdio recente, choque; H.I, intoxicação alcoólica aguda, alcoolismo.

Avisos e PrecauçõesMetformina

Contínua e hospitalização imediata para sinais não específicos tais como cãibras musculares com distúrbios digestivos, dor abdominal e astenia grave, possível acidose láctica; monitorizar a função renal antes de iniciar o tratamento, min. 1x/ano se normal e min. 2-4x/ano se nível de creatinina >= LSN e nos idosos (neles também se alerta ao iniciar o tratamento com anti-hipertensivos, diuréticos, diuréticos, etc.). com anti-hipertensivos, diuréticos ou AINEs devido ao risco de insuficiência renal); descontinuar 48 h antes da cirurgia com anestesia geral, espinal ou peridural, retomar 48 h após a cirurgia ou após retomada da nutrição oral, e apenas se a função renal for normal; descontinuar antes ou no momento do exame radiológico com meio de contraste iodado (intravascular) e só retomar após 48 h, apenas se a função renal for normal; monitorizar os parâmetros de crescimento e puberdade em crianças, especialmente as de 10 a 12 anos de idade.

Dificuldade hepáticaMetformina

Contratado. É um factor de risco associado à acidose láctica.

Imparidade renalMetformin

Contratado com R.I. (Clcr < 60 ml/min). Determinar os níveis de creatinina sérica antes de iniciar o tratamento e monitorizar regularmente: 1x/ano em doentes com função renal normal, 2-3x/ano em doentes com LSN.

Interacções metforminas

Ver Contr. e Prec. Além disso:
Exposição aumentada por: drogas catiónicas eliminadas por secreção tubular (por exemplo, cimetidina), controlo glicémico apertado, ajustar a dose ou mudar o tto diabético.
Cautela com: glucocorticóides (via sistémica e local) e simpaticomiméticos para aumentar a glicemia (controlo próximo especialmente no início, se necessário ajustar a dose de metformina durante a concomitância e na descontinuação); diuréticos (especialmente diuréticos de laço) para aumentar o risco de acidose láctica.
Diminuição dos níveis de glicose com Inibidores da ECA, ajustar a dose.

PregnancyMetformin

Diabetes incontrolada durante a gravidez (gestacional ou permanente) está associada a um risco aumentado de anomalias congénitas e mortalidade perinatal. A informação limitada sobre a utilização de metformina em mulheres grávidas não indica um risco acrescido de anomalias congénitas. Os estudos com animais não indicam efeitos adversos com respeito à gravidez, desenvolvimento embrionário ou fetal, parição, ou desenvolvimento pós-natal. Quando a paciente planeia engravidar e durante a gravidez, recomenda-se que a diabetes não seja tratada com metformina, mas com insulina para manter os níveis de glicose no sangue o mais próximo possível do normal para reduzir o risco de malformações fetais.

LactationMetformin

Metformina é excretada no leite materno. Não se observaram efeitos adversos em recém-nascidos/ recém-nascidos amamentados. Contudo, uma vez que a informação disponível é limitada, não é recomendada a amamentação durante o tratamento com metformina. A decisão de retirar a amamentação deve ser tomada tendo em conta os benefícios da amamentação e o risco potencial de efeitos adversos na criança.

Efeitos na capacidade de conduçãoMetformina

Metformina em monoterapia não causa hipoglicemia e, portanto, não tem qualquer efeito na capacidade de condução ou utilização de máquinas. Contudo, o doente deve ser avisado dos riscos de ocorrência de hipoglicemia quando a metformina é utilizada em associação com outros antidiabéticos (por exemplo sulfonilureias, insulina ou meglitinidas).

Reacções adversasMetformina

Disgeusia; náuseas, vómitos, diarreia, dor abdominal, perda de apetite.

p>Vidal VademecumSource: O conteúdo desta monografia de princípio activo de acordo com a classificação ATC, foi escrito tendo em conta a informação clínica de todos os medicamentos autorizados e comercializados em Espanha classificados nesse código ATC. Para conhecer em pormenor as informações autorizadas pela AEMPS para cada medicamento, deverá consultar a Ficha Técnica correspondente autorizada pela AEMPS. Monografias Princípio Activo: 01/12/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *