hubstroke.com (Português)

DIAGNÓSTICO

Testes de Diagnóstico:

  1. Soro anticorpos Anti-AChR.
  2. Anticorpos Anti-MuSK. Realizar em todos os doentes com estudo de anticorpos anti-Acetilcolina negativo.
  3. Função tiroideia. Realizar em todos os pacientes, pois é uma comorbidade frequente.
  4. Estudo neurofisiológico. Ajuda a estabelecer o diagnóstico em doentes seronegativos com suspeita de MG.

4.a. Estimulação repetitiva a baixas frequências (2-5 Hz): sensibilidade superior a 75% se realizada em áreas proximais, especificidade 89%-98%. O teste é considerado patológico quando há uma diminuição de mais de 10% na amplitude ou área do quarto ou quinto motor evocado potencial comparado com o do primeiro.

4.b. Electromiografia de fibra única: sensibilidade 92%, baixa especificidade pois pode ser alterada na patologia nervosa e muscular.

Outro:

  1. Ressonância magnética cerebral: os pacientes seronegativos com sintomas compatíveis com a MG ocular podem ter patologia estrutural do cérebro.
  2. Toracic CT (MRI): em todos os pacientes com suspeita de MG, independentemente da distribuição (ocular/generalizada) ou serologia (seropositiva/seronegativa).
  3. Tensilon ou teste de Edrophonium.
  4. Teste de Gelo.
  5. Se todos os testes forem negativos e outras possibilidades de diagnóstico tiverem sido descartadas, com resposta deficiente ao tratamento imunomodulador, suspeita de MG congénita.

Títulos de anticorpos de seguimento:

Não existe uma boa correlação entre os níveis de anticorpos anti-AChR e os sinais clínicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *