McDonald’s poderia ser cotado na bolsa local

Embora não seja um facto a curto prazo, Arcos Dorados poderia solicitar autorização para ser cotada na Bolsa de Valores de Buenos Aires, seguindo o mesmo caminho que um grupo de empresas que este ano entrou na Bolsa de Valores de Buenos Aires como Havana.
De acordo com Ricardo Mendez, CEO da Arcos Dorados, a empresa em 2011 veio para Wall Street e começou a negociar na Bolsa de Valores de Nova Iorque. Quanto à possibilidade de fazer o mesmo na bolsa de valores local, o executivo disse que “por agora não está planeado”, mas deixou a porta aberta ao acrescentar que “não significa que no futuro possa ser feito”. Arcos Dorados é a maior franquia McDonald’s a nível mundial. Nascido na Argentina em 1996, e durante 11 anos operou apenas no país. Em 2007, submeteu-se ao processo de licitação do McDonald’s e assumiu a utilização da marca para 20 países da América Latina. Quando se tornou público em Nova Iorque, ultrapassou 10 vezes as ordens de compra em relação às acções oferecidas, obtendo 1249 milhões de dólares na sua Oferta Pública Inicial feita na Bolsa de Nova Iorque. Originalmente, a empresa sediada em Buenos Aires, Argentina, tinha disponibilizado 62,5 milhões de acções a potenciais investidores a um preço entre 13 e 15 dólares cada. Dado o excesso de procura, os accionistas vendedores, os fundos de investimento Gavea Investments, Capital International e DLJ South America Partners, decidiram aumentar o número de acções oferecidas (+33%), elevando para u$s 17 o valor de colocação de cada uma delas. Quanto ao processo de investimento no país, este ano serão atribuídos u$s 10 milhões para abrir três lojas e remodelar outras 20, o que irá gerar mais de 300 empregos. “Acreditamos no país e nos negócios que fazemos são pensados para o longo prazo. Quando pensamos numa abertura, não a fazemos olhando para a conjuntura, mas projectamo-la para 10 ou 20 anos”, disse Mendez durante um evento organizado para anunciar os planos da cadeia que está na Argentina há 30 anos. “Este momento não é diferente de outros por que passámos e acreditamos no negócio que fazemos”, acrescentou ele. Disse também que as novas lojas serão no Chaco, onde abrirá pela primeira vez, Salta e a Capital Federal. Segundo a Télam, com as aberturas e renovações, a empresa terá investido 120 milhões de dólares e aberto 30 lojas em cinco anos, e no final de 2016 terá 226 restaurantes em 12 províncias e 17.000 empregados. Neste sentido, o executivo acrescentou que “as aberturas são definidas como viáveis com base no que é estimado para o futuro”.
br> Nos planos para o próximo ano, o executivo antecipou que “há muitos interessados em abrir lojas McDonald’s e nós também”.
Ele também explicou que a empresa “tem um roteiro de aberturas para os próximos três anos, mas nenhum negócio é feito até que o contrato não seja fechado, e é nessa altura que os próximos anúncios serão feitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *