Mês do Pai: A Maternal Dad’s Story (Part 1)

/div>> É evidente que o papel dos pais está a mudar, estão cada vez mais envolvidos nos cuidados, educação, alimentação e bem-estar geral dos seus filhos.

Por meio da história de José Carlos, um “pai materno” que vive em Lima, Peru, queremos fazer uma espécie de homenagem a uma nova geração de pais que estamos a ver surgir.

Ele é um pai feliz de 3 rapazes. Joaquim, 12 anos de idade com dislexia e afins, Oscar, 7, com sintomas de hiperactividade deficitária de atenção e características de criança índigo, ambos com alergias alimentares; e Gabriel, um precioso menino de 19 meses, ele espera “normal”

As singularidades das crianças e o trabalho da sua esposa forçam com prazer José Carlos a ocupar e dedicar quase todo o dia dos seus três filhos.

O seu dia agitado começa às 5 da manhã. Ele acorda os rapazes e os quatro (bebé no seu carrinho de bebé) saem para uma corrida diária de 2 a 3 km e fazem exercício. Pequeno-almoço completo para os quatro. Vai à escola com os mais velhos e frequenta as aulas de estimulação precoce do método Doman com os mais pequenos.

À tarde, o pequenino para a creche e ele para o seu trabalho para regressar à noite para cuidar das casas de banho, da comida e colocar as crianças na cama com a sua mulher.

Esta nova faceta da sua vida levou-o a elaborar uma espécie de manual que está a preparar sobre “Criar rapazes, por pais homens” e a dar palestras nas escolas com a intenção de orientar outros pais no caminho de uma educação mais comunicativa para os seus filhos.

No seu manual, cujos capítulos serão entregues na sua web PapásMaternales, diz que “os pais maternos machos são uma espécie ameaçada, porque chegará um dia em que já não seremos muito necessários para formar uma família, desde a inseminação, ninhos, viveiros, mães canguru, wawa-wasis (em Quechua, “casa das crianças”), até às mães autónomas e casamentos entre mulheres …. Onde ficaremos os nossos pais? Não quero imaginar e não quero estar lá para o ver”

Deixa-me dizer-te José Carlos que os pais maternos, longe de serem uma espécie em perigo de extinção são, felizmente para mães e filhos, uma espécie em extensão, e espero que numa extensão rápida.

Mais informações | PapásIn Bebés e mais | Os bebés também precisam do paiIn Bebés e mais | A síndrome do atlas, os novos paisIn Bebés e mais | Ser pai, um desafioIn Bebés e mais | Os novos pais: homens empenhados em criar filhos

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *