Ocorrência de florações tóxicas de Microcystis aeruginosa num lago urbano central chileno (36° Lat. S)

Abstract

ALMANZA, Viviana et al. Ocorrência de florações tóxicas de Microcystis aeruginosa num lago urbano central chileno (36° Lat. S). Rev. chil. hist. nat. . 2016, vol.89, pp.1-12. ISSN 0716-078X. http://dx.doi.org/10.1186/s40693-016-0057-7.

ANTECEDENTES: Durante as últimas décadas, a frequência e a distribuição global de florações de cianobactérias tóxicas tem aumentado a nível mundial, o que tem sido atribuído à eutrofização e às alterações climáticas globais. No Chile, há relatos de florações em ecossistemas aquáticos em áreas com alta densidade populacional e a presença de cinco microcistos congéneres, mas apenas duas florações tóxicas que causaram a morte de centenas de peixes. Foi investigada a presença de florescimento de cianobactérias tóxicas no lago urbano Lo Galindo, cidade de Concepción, e os factores ambientais que influenciam a abundância de cianobactérias e a concentração de microcistina. Este lago é utilizado para recreação e como fonte alternativa de água potável para a cidade RESULTADOS: As florescências tóxicas de Microcystis aeruginosa desenvolvem-se no lago e ocorrem durante todo o ano numa vasta gama de condições ambientais, formando florescências cumulativas (semelhantes a escórias) durante o Verão e florescências dispersivas em todas as alturas do ano. Existem diferentes congéneres de microcistina, a mais frequente é MC-RR (21,0 %) e a concentração mais elevada MC-LR (115,4 μg L-1 CONCLUSÃO: A dominância e desenvolvimento das flores de M. aeruginosa é determinada por vários factores ambientais tais como temperatura, nutrientes, diversidade de taxa e velocidade do vento que afectam a formação de florescimentos dispersivos e/ou escumalha, esta última desenvolve-se apenas no Verão, coincidindo com as temperaturas mais elevadas e as concentrações totais de microcistina. A concentração de congéneres é altamente variável no lago, pelo que se recomenda um cuidado especial quando se utiliza a água para beber e para actividades recreativas. A ocorrência e persistência de proliferações de M. aeruginosa neste corpo de água são consideradas um risco potencial para a saúde dos habitantes da área, considerando a proximidade e utilização do sistema pelos habitantes

Palavras-chave:Microcystin; Microcystis aeruginosa; Florescimento cumulativo e dispersivo; Eutrofização; Lago urbano; Chile.

iv xmlns:xlink=”http://www.w3.org/1999/xlink – resumo em inglês – texto em inglês – inglês ( pdf )

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *