Peru começa a reservar e vender bilhetes para visitar Machu Picchu

Lima, 29 de Dezembro (EFE) – As autoridades culturais do Peru iniciaram na terça-feira a reserva e venda de bilhetes para visitar a partir de Janeiro próximo a cidadela inca de Machu Picchu, bem como para percorrer a rota da Trilha Inca, que desde a sua reabertura em Novembro passado tem sido de acesso livre.

O Ministério da Cultura abriu o processo, através da Direcção Descentralizada da Cultura de Cusco, para os interessados em entrar no sítio arqueológico entre 1 e 3 de Janeiro, enquanto que para o fazer entre 4 e 10 de Janeiro poderão ser adquiridos bilhetes a partir do dia 2.

Também começou a vender para percorrer a rota 5 da Trilha Inca entre 1 e 5 de Janeiro, enquanto que para o fazer entre 6 e 10 de Janeiro, serão oferecidos bilhetes a partir de 2 de Janeiro.

TAXAS DE TRIQUETE

Depois de notar que nos próximos dias será relatada a venda de bilhetes para os dias seguintes de Janeiro, o ministério recordou que a capacidade diária permitida em Machu Picchu é actualmente de 1.122 visitantes, equivalente a 50% do total, para cumprir as medidas de segurança sanitária.

A partir de 1 de Janeiro, a taxa geral para visitantes domésticos, residentes estrangeiros no país e cidadãos da Comunidade Andina, que o Peru integra com a Bolívia, Colômbia e Equador, será de 64 soles ($ 18) e para estudantes do ensino superior e menores de 32 soles ($ 9).

Além disso, os nascidos na região de Cusco, onde se situa a cidadela, terão entrada gratuita todos os domingos, desde que tenham um bilhete de entrada gerado pelo menos 24 horas antes da sua visita.

Para visitantes estrangeiros, a taxa para adultos será de 152 soles ($42,8), para estudantes 77 soles ($21,6) e para menores 70 soles ($19,7).

O Ministério da Cultura recordou que a entrada em Machu Picchu é um pré-requisito, para além do bilhete, a apresentação do bilhete de identidade nacional, cartão de estrangeiro ou passaporte e cartão de ensino superior em vigor no caso dos estudantes.

Crianças com menos de três anos têm entrada livre e todos os menores devem ser acompanhados por um adulto.

A cidadela de Machu Picchu foi fechada desde Março passado, quando a pandemia de covid-19 começou, até 1 de Novembro, quando começou a receber turistas com capacidade limitada e a cumprir um plano rigoroso de segurança sanitária que inclui o uso de máscaras e a manutenção da distância social.

Desde a reabertura, os peruanos não pagaram para entrar no sítio arqueológico, uma medida adoptada pelas autoridades para promover o regresso do turismo interno e contrariar o impacto económico da epidemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *