Revista Electrónica de Psicologia Iztacala

Linguagem: Espanhol
Referências bibliográficas: 17
Páginas: 950-960
PDF file: 282,77 Kb.

>br>>>br>>>>p>Afasia, sendo uma alteração na linguagem e comunicação, é de grande importância no seu tratamento e tem colocado os investigadores em busca de diferentes estratégias e metodologias terapêuticas não invasivas para alcançar uma melhoria a nível funcional e estrutural; Uma delas e a mais utilizada que dá resultados para afasia não fluente é a Terapia de Intonação Melódica. O objectivo deste estudo é rever a investigação publicada até à data utilizando esta metodologia. Foi realizada uma pesquisa na plataforma Pubmed, onde foram encontrados 12 artigos relacionados com o tema, utilizando as palavras-chave: afasia, Terapia de Intonação Melódica, após AVC, reabilitação; obtendo como resultado trabalhos teóricos e experimentais; neste último, baseando o tratamento terapêutico com a Intonoterapia Melódica, foram observados benefícios em assuntos afásicos em diferentes países sendo possível a aplicação desta metodologia em diferentes línguas como o italiano, francês, árabe e holandês entre outras; esta metodologia sem e em companhia de outras estratégias. Da mesma forma, ao procurarem provas apoiadas por imagens, observam mudanças em áreas específicas da matéria branca do hemisfério direito. Sem eliminar o factor que, quando apresentado em doentes crónicos, a melhoria é mais significativa na qualidade de vida.

REFERÊNCIAS (NESTE ARTIGO)

  1. Al-Shdifat, K. G., Sarsak, J., & Ghareeb, F. A. (2018). Explorando a eficácia da terapia de entonação melódica com a afasia de Broca em árabe. South African Journal of Communication Disorders.

  2. Cajal, S. R. (1999). Texture of the Nervous System of Man and the Vertebrates (Vol. 1): Springer Science y Business Media.

    <

  3. Conklyn, D., Novak, E., Boissy, A., Bethoux, F. y Chemali, K. (2012). Os efeitos da terapia de entonação melódica modificada na afasia não fluente: um estudo piloto. J Speech Lang Hear Res.

  4. Cortese, M. D., Riganello, F., Arcuri, F., Pignataro, L. M. y Buglione, I. (2015). Reabilitação da afasia: aplicação da terapia melódico-rítmica à língua italiana. Neurociência do Hum frontal.

  5. Norton, A., Zipse, L., Marchina, S. y Schlaug, G. (2009). Terapia de entoação melódica: partilha de conhecimentos sobre como é feita e porque pode ajudar. Ann N Y Acad Sci.

  6. Parsons, M. W., Hammeke, T. A. y Snyder, P. J. (2014). Neuropsicologia clínica: Um manual de bolso para avaliação (3ª ed.): Associação Psicológica Americana.

  7. Peretz, I. y Zatorre, R. J. (2005). Organização do cérebro para o processamento musical. Annu Rev Psychol.

    <

  8. Schlaug, G., Altenmüller, E. y Thaut, M. (2010). Ouvir música e fazer música no tratamento de perturbações e deficiências neurológicas. Percepção musical.

    <

  9. Schlaug, G., Marchina, S. y Norton, A. (2008). Do canto à fala: Porquê cantar pode levar à recuperação da função da linguagem expressiva em pacientes com afasia de Broca. Percepção musical: Uma revista interdisciplinar.

  10. Stringer, A. Y. y Green, R. C. (1996). Um guia para o diagnóstico neuropsicológico de adultos: FA Davis.

  11. Stroke, N. I. o. N. D. a. (2016). Afasia. Obtido de https://espanol.ninds.nih.gov/trastornos/afasia.htm

  12. Van Der Meulen, I., De Sandt-Koenderman, V., Mieke, W., Heijenbrok, M. H., Visch-Brink, E. y Ribbers, G. M. (2016). Terapia de entonação melódica em afasia crónica: Evidências de um ensaio piloto aleatório controlado. Frontiers in Human Neuroscience (Fronteiras em Neurociência Humana).

  13. Van der Meulen, I., van de Sandt-Koenderman, W. M., Heijenbrok-Kal, M. H., Visch-Brink, E. G. y Ribbers, G. M. (2014). A Eficácia e a Temporização da Terapia de Intonação Melódica em Afasia Subaguda. Reparação Neural Neurorehabil.

  14. Wan, C. Y. y Schlaug, G. (2010). Fazer música como uma ferramenta para promover a plasticidade cerebral durante toda a vida. O Neurocientista.

    <

  15. Wan, C. Y., Zheng, X., Marchina, S., Norton, A. y Schlaug, G. (2014). A terapia intensiva induz alterações contralaterais da matéria branca em doentes com AVC crónico com afasia de Broca. Cérebro Lang.

  16. Zipse, L., Norton, A., Marchina, S. y Schlaug, G. (2012). Quando à direita é tudo o que resta: plasticidade das vias da hemisfério direito num jovem doente afásico. Ann N Y Acad Sci.

  17. Zumbansen, A., Peretz, I. y Hebert, S. (2014). A Combinação de Ritmo e Passo pode explicar o efeito benéfico da terapia de Intonação Melódica sobre as melhorias da fala relacionadas na Afasia de Broca. Neurosci do Hum frontal, 8, 592. Obtido de https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25157222.

br>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *